terça-feira, 17 de outubro de 2017

Empresa de biotecnologia tentará ressuscitar mortos




Uma empresa de biotecnologia tenta fazer algo cientificamente ousado: ressuscitar 20 pessoas clinicamente mortas. Chamada Bioquark, a companhia da Filadélfia obteve aprovações éticas das entidades de saúde dos Estados Unidos e da Índia para o seu projeto.

A ideia não é dar vida nova a pessoas que faleceram, mas às que hoje vivem somente com o auxílio de aparelhos médicos e não podem viver de maneira independente.

De acordo com Ira Pastor, CEO da Bioquark, este é o primeiro experimento científico do gênero e seus resultados podem representar mais um passo em direção à – talvez possível – reversão da morte dos humanos.

“Para realizar uma iniciativa tão complexa quanto esta, vamos combinar ferramentas de medicina biológica com outros aparelhos médicos existentes usados para a estimulação do sistema nervoso central, em pacientes que apresentam outros problemas severos de falta de consciência”, afirma Pastor.

A empresa americana vai aplicar células-tronco, estimulação nervosa e outros tratamentos em pessoas que sofreram sérios traumas cerebrais.

A iniciativa se apoia em estudos científicos recentes que mostraram existir fluxo sanguíneo e atividade elétrica após a morte de uma célula cerebral, porém em quantidade insuficiente.

A equipem médica da Bioquark espera ver evidências de regeneração na medula espinhal superior e no ritmo cardíaco dos pacientes após as seis semanas de seus primeiros testes com 20 pessoas.

Numa visão futurística, o tratamento pode trazer humanos de volta à vida depois de sofrerem fortes traumas na cabeça.

Alguns peixes e anfíbios podem regenerar partes de seus cérebros após ferimentos graves e a ideia da Bioquark é trazer isso para a humanidade, após um período de pesquisa ainda sem estimativa de conclusão.

“Salvar partes individuais pode ser de grande ajuda, mas é um longo caminho até que seja viável ressuscitar um cérebro totalmente, de maneira funcional, em um estado sem danos”, declarou Pastor, segundo o Telegraph.

Fonte: Pensador Anônimo

Recomendado para você

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Novo Propulsor Iônico quebra recordes de desempenho




Protótipo de propulsor iônico quebra recordes em testes e poderia enviar seres humanos para Marte

Scott Hall faz alguns ajustes finais para o propulsor de iões X3
 na Universidade de Michigan antes de um teste. Crédito: NASA
Um propulsor, que está sendo desenvolvido para uma futura missão da NASA para Marte, quebrou vários recordes durante testes recentes, sugerindo que a tecnologia está no bom caminho para levar os humanos ao Planeta Vermelho nos próximos 20 anos, disseram membros da equipe do projeto.

O propulsor X3, projetado por pesquisadores da Universidade de Michigan, em cooperação com a NASA e a Força Aérea dos EUA, é um propulsor Hall - um sistema que impulsiona a espaçonave acelerando uma corrente de átomos carregados eletricamente, conhecidos como íons. Na recente demonstração realizada no Centro de Pesquisa Glenn da NASA em Ohio, o X3 quebrou recordes para o máximo de potência, impulso e corrente operacional alcançados por um propulsor Hall até a data, de acordo com a equipe de pesquisa da Universidade de Michigan e representantes da NASA.

"Nós mostramos que o X3 pode operar com mais de 100 kW de potência", disse Alec Gallimore, que lidera o projeto, em entrevista à Space.com. "Ele funcionou em uma enorme variedade de energia de 5 kW a 102 kW, com corrente elétrica de até 260 amperes. Ele gerou 5,4 Newtons de impulso, que é o maior nível de impulso alcançado por qualquer propulsor de plasma até o momento", acrescentou Gallimore , que é decano de engenharia da Universidade de Michigan. O recorde anterior era de 3,3 Newtons, de acordo com a escola.

Os propulsores Hall e outros tipos de motores de íons usam eletricidade (geralmente gerada por painéis solares) para expelir o plasma - uma nuvem semelhante a gás de partículas carregadas - para fora de um bico, gerando impulso. Esta técnica pode impulsionar a nave espacial a velocidades muito maiores do que conseguem os foguetes de propulsão química, de acordo com a NASA .

É por isso que os pesquisadores estão tão interessados ​​na aplicação potencial de propulsão iónica para viagens espaciais de longa distância. Considerando que a velocidade máxima que pode ser alcançada por um foguete químico é de cerca de 5 quilômetros por segundo, um propulsor Hall poderia obter uma aceleração de até 40 quilômetros por segundo, disse Gallimore.

Os motores de íons também são conhecidos por ser mais eficientes do que os foguetes de motor químico, com o que Gallimore descreveu como uma melhor relação "milhas por galão". Uma nave espacial com propulsão de Hall pode levar carga e astronautas para Marte usando muito menos propelente do que um foguete químico, disse ele. (Um propelente comum para propulsores de íons é xenônio, na verdade, a nave espacial Dawn da NASA , que atualmente está em órbita do planeta anão Ceres, usa esse gás.)

"Você pode pensar em propulsão elétrica como tendo 10 vezes as milhas por galão a mais, em comparação com a propulsão química", disse Gallimore à Space.com.

O problema com os propulsores de íons, no entanto, é que eles geram um impulso muito baixo e, portanto, devem operar por um longo tempo para acelerar uma nave espacial a altas velocidades, de acordo com a NASA. (Além disso, os propulsores de íons não são poderosos o suficiente para superar a atração gravitacional da Terra, portanto não podem ser usados ​​para lançar a nave espacial).

"Os sistemas de propulsão química podem gerar milhões de kilowatts de energia, enquanto os sistemas elétricos existentes só conseguem 3 a 4 quilowatts", disse Gallimore. Os propulsores Hall comercialmente disponíveis não são suficientemente poderosos o suficiente para impulsionar uma nave tripulada para Marte, acrescentou.

"O que precisamos para a exploração humana é um sistema que pode processar algo como 500.000 watts (500 kW), ou mesmo um milhão de watts ou mais", disse Gallimore. "Isso é algo como 20, 30 ou mesmo 40 vezes o poder dos sistemas convencionais de propulsão elétrica ". É lá que entra o X3. Gallimore e sua equipe estão abordando o problema de energia, tornando o propulsor maior do que esses outros sistemas e desenvolvendo um design que aborda uma das falhas da tecnologia.


Uma foto lateral do propulsor de ions X3
disparando a 50 quilowatts. Crédito: NASA
"Nós descobrimos que, em vez de ter um canal de plasma, onde o plasma gerado é expelido do propulsor e produz impulso, temos que ter vários canais no mesmo propulsor", disse Gallimore. "Nós chamamos isso de canal aninhado".

De acordo com Gallimore, o uso de três canais permitiu que os engenheiros tornassem o X3 muito menor e mais compacto do que um propulsor Hall de canal único equivalente deveria ser.

A equipe da Universidade da Michigan vem trabalhando na tecnologia em cooperação com a Força Aérea desde 2009. Primeiro, os pesquisadores desenvolveram um propulsor de dois canais, o X2, antes de passar para o X3 mais poderoso, que tem três canais.

Em fevereiro de 2016, a equipe se associou ao fabricante de foguetes com sede na Califórnia, Aerojet Rocketdyne, que está desenvolvendo um novo sistema de propulsão elétrica , chamado XR-100, para NASA Next Space Technologies for Exploration Partnerships ou programa NextSTEP . O propulsor X3 é a parte central do sistema XR-100.

Scott Hall, um Ph.D. estudante da Universidade de Michigan que trabalhou no projeto X3 nos últimos cinco anos, disse que o trabalho tem sido bastante desafiador devido ao tamanho do propulsor.

"É pesado - 500 libras [227 quilos]. Tem quase um metro de diâmetro", disse Hall. "A maioria dos propulsores do Salão são o tipo de coisa que uma ou duas pessoas podem pegar e levar passear ao redor do laboratório. Para mover o X3 precisamos de um guindaste".

No próximo ano, a equipe executará um teste ainda maior, que visa provar que o propulsor pode operar a plena potência por 100 horas. Gallimore disse que os engenheiros também estão projetando um sistema especial de blindagem magnética para manter o plasma longe das paredes do propulsor evitando danos e permitindo que o propulsor funcione de forma confiável por períodos de tempo ainda mais longos. 

Gallimore disse que, sem a blindagem, uma versão de vôo X3 provavelmente começaria a ter problemas após várias mil horas em operação. Uma versão blindada magneticamente pode ser usada por vários anos com força total, de acordo com Gallimore.

Fonte: Space.com




Recomendado para você  


terça-feira, 10 de outubro de 2017

Heliosfera, a maior coisa que possuímos no Sistema Solar




Acredite se quiser: existe algo maior que o Sol em nosso Sistema Solar. O Sol é uma estrela, por isso, é muito maior até mesmo do que Júpiter, o maior planeta do nosso sistema. Mas ele não é a maior coisa no sistema que gira em torno dele. É algo feito do próprio Sol, mas que é praticamente invisível para nós. A atmosfera exterior do Sol gera uma bolha magnética enorme, chamada de heliosfera, que é a maior estrutura contínua do Sistema Solar.


A Terra e Júpiter são planetas. Eles não têm explosões nucleares dentro deles. O Sol é uma estrela e tem uma gigantesca azia. Esta bola de gás e plasma é grande o suficiente para ter o tipo de pressão interna que força o hidrogênio a se transformar em hélio através da fusão nuclear. Júpiter é grande o suficiente para comportar 1.000 Terras. No entanto, 1.000 Júpiteres cabem dentro do nosso Sol. 

Lá no fundo da nossa estrela, onde milhões de toneladas de hidrogênio se fundem em hélio a cada segundo, o calor resultante, ao lado de outros tipos de energia, move-se em direção à superfície, trazendo junto um monte de partículas carregadas. Um inferno nuclear como este também bagunça o campo magnético solar.

Eventualmente, tudo atinge a superfície do sol, onde as coisas ficam violentas. Não há nada lá para parar a luz solar, as partículas carregadas e o campo magnético de viajar para o espaço. Os buracos nas camadas superiores da atmosfera do sol vazam continuamente um vento de partículas carregadas. 

A estrela, por vezes, tem episódios onde rajadas de campos magnéticos e até 1 bilhão de toneladas de matéria carregada são atiradas de sua superfície a milhões de quilômetros por hora. Manchas solares lançam erupções magnéticas que são as explosões mais poderosas de nosso Sistema Solar.

Os cientistas chamam essa explosão toda de heliosfera. O campo magnético da Terra e sua atmosfera densa nos protegem de seus piores efeitos. Esta corrente de partículas carregadas e campos magnéticos flui principalmente em torno de nós e segue viajando até passar por Júpiter e segue ainda muito além da órbita de Plutão.

A heliosfera começa a perder energia logo após que sai do Sol, por isso tem que terminar em algum lugar. Ninguém sabe ao certo o quanto distante essa bolha magnética solar alcança, antes que se torne demasiada fraca para repelir o vento interestelar. Uma coisa nós sabemos: a heliosfera envolve todo o Sistema Solar, incluindo o Sol. É definitivamente a maior estrutura contínua que possuímos. 

Fonte: KnowledgeNuts - tradução livre

Recomendado para você

sábado, 7 de outubro de 2017

OVNI explode meteoro no céu de Portugal




O registo do momento em que o meteorito aparece
Imagens capturadas na na região central do litoral português, entre as cidades de Nazaré e Leiria, mostram um meteorito rasgando a atmosfera superior da Terra e explodindo antes de chegar a superfície do planeta. 

O vídeo, que está se viralizando na internet, mostra o que talvez seja uma intervenção alienígena, protegendo nosso planeta de uma possível ameaça cósmica à vida na Terra.

Contato imediato ou ilusão de ótica?

No filme, disponibilizado logo baixo, vemos que o brilho do meteorito aumenta a medida que ele se queima na atmosfera, quando, talvez um OVNI (Objeto Voador Não Identificado) dispara o que parece ser um pulso de energia, que destrói o objeto cadente. Por outro lado há gente que afirme ser apenas uma ilusão de ótica, apenas o reflexo do próprio meteorito na lente da câmera.

As imagens do meteorito se queimando e explodindo ao entrar em nossa atmosfera foram feitas cerca das 3h25m, da madrugada do dia 27 de setembro de 2017, pelo youtuber português Euclides Santana.  Veja



Recomendado para você

quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Inscrições de 15.000 anos encontradas no Egito



Uma equipe de arqueólogos do Ministério de Antiguidades do Egito localizou representações pré-históricas no sítio de Wadi Abu Subeira, localizado na zona de deserto oriental (a aproximadamente 15Km de Asuan). Segundo afirma um comunicado do ministério calcula-se que a descoberta tenha perto de 15.000 anos de idade.



O Dr. Mustafá Waziri, Secretário Geral do Conselho Supremo de Antiguidades, anunciou que as representações estão gravadas em rocha de arenito e mostram uma grande diversidade de animais selvagens, como: hipopótamos, toros selvagens, girafas, burros, gazelas, etc. Também foram localizados indícios de talhas destinadas à produção de ferramentas e instrumentos de pedra.

Nasr Salam, responsável pelo Ministério de Antiguidadades de Asuan e Nubia, explica que os recém descobertos escritos são raros no Egito. Podem ser encontrados em sítios como Al-Qarta e Abu Tanqura, ao norte da zona de Kom Ombo, o que ajuda na datação das inscrições descobertas em Wadi Abu Suberia.

Além desta última descoberta, em Wadi Abu Suberia já foram localizados outros 10 locais com representações pré-históricas. As investigações na localidade estão distantes de ser concluídas e acredita-se que é factível de se encontrarem muitas outras surpresas.

Fonte: egiptologia.com

Recomendado para você

terça-feira, 3 de outubro de 2017

Os 10 livros mais vendidos no 1º semestre de 2017



Veja a lista dos dez livros mais vendidos em 2017 no Brasil: Só os livros da lista venderam mais de 600 mil cópias no 1º semestre do ano! Siga os links para mais informações sobre cada uma das obras...

1. Batalha Espiritual, de Padre Reginaldo Manzotti – 87 mil cópias vendidas
Obra retrata a batalha entre o bem e o mal, isto é, entre os que se encontram do lado de Deus e o Inimigo, que deseja desvirtuar todos os homens e mulheres de boa vontade. http://acesse.vc/v2/2752c60039d

2. O Homem Mais Inteligente da História, de Augusto Cury – 85 mil cópias vendidas
Relata a história de Dr. Marco Polo, psicólogo e pesquisador, desenvolveu uma teoria inédita sobre o funcionamento da mente e a gestão da emoção. http://acesse.vc/v2/275a98ce424

3. Por que fazemos o que fazemos?, de Mario Sergio Cortella – 71 mil cópias vendidas
O filósofo e escritor Mario Sergio Cortella desvenda as principais preocupações com relação ao trabalho. Aborda questões como a importância de ter uma vida com propósito e a motivação em tempos difíceis. http://acesse.vc/v2/275cb105db1

4. Rita Lee: uma auto-biografia, de Rita Lee – 67 mil cópias vendidas
Conta a vida de Rita Lee, do primeiro disco voador ao último porre. A infância e os primeiros passos na vida artística, sua prisão em 1976, o nascimento dos filhos e muitos outros acontecimentos contados de forma minuciosa. http://acesse.vc/v2/27540486ddf

5. O Poder da Ação, de Paulo Vieira – 61 mil cópias vendidas
Paulo Vieira convida o leitor a quebrar o ciclo vicioso e iniciar um caminho de realização. Para isso, ele apresenta o método responsável por impactar 250 mil pessoas ao longo de sua carreira – e que pode ser a chave para o que o leitor tanto procura. http://acesse.vc/v2/275a8c3cfce

6. Ansiedade: como curar o mal do século, de Augusto Cury – 59 mil cópias vendidas
O autor apresenta a Síndrome do Pensamento Acelerado (SPA), uma das doenças mais penetrantes da atualidade. Ainda pouco conhecida por psicólogos e psicopedagogos. http://acesse.vc/v2/27539c888d0

7. Propósito de Sri Prem Baba – 56 mil cópias vendidas
História é focada na expansão do diálogo amoroso e aborda temas que têm a ver com os anseios mais íntimos do ser humano. http://acesse.vc/v2/2755c3e683f

8. Quatro Vidas de um Cachorro, de Bruce Cameron – 52 mil cópias vendidas
Um cão, após renascer várias vezes, imagina que há razão para seu retorno, um propósito a cumprir, e que, enquanto não o alcançar, continuará renascendo. http://acesse.vc/v2/275b8ba070a

9. Harry Potter e A Criança Amaldiçoada, de J.K. Rowling – 49 mil cópias vendidas
Enquanto Harry lida com um passado que se recusa a ficar para trás, seu filho mais novo, Alvo, deve lutar com o peso de um legado de família que ele nunca quis. http://acesse.vc/v2/275ad5705de

10. Depois de Você, de Jojo Mayes – 44 mil cópias vendidas
O livro narra a história do relacionamento entre Will Traynor e Louisa Clark, que precisa reinventar sua vida após sofrer um grave acidente. http://acesse.vc/v2/275da08b8ef

*Dados referentes ao 1º semestre de 2017

Recomendado para você

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

A interrupção na transmissão da Southern Television, em 1977



O Caso da Voz na TV - Vrillon em 1977 (Transmissão Ao Vivo?)

A história sobre o incidente ocorrido ás 5:10, no dia 26 de novembro de 1977, durante a transmissão de um jornal, apresentado por Andrew Gardner (foto). Quando a transmissão foi interrompida, dando lugar para um estranho sinal na voz, do então Vrillon?

Na emissora de TV do Reino Unido. Esse fato é geralmente considerado como uma fraude, mas a identidade do intruso é desconhecida até hoje.

Descrição do caso:

Um alto-falante interrompeu as transmissões durante seis minutos e alegou ser um representante de uma "Associação Intergalática". Relatórios do incidente variam, alguns chamam a voz do alto-falante de "Vrillon" ou "Gillon", outros "Asteron".

Para ter uma noção deste e de outros nomes. Por exemplo: como a historia que alguns acreditam do Ashtar Sheran, compreenda a ligação familiar atravez da (genética). A referência de vários nomes que obdecem as mesmas entidades no decorrer da humanidade. Mas, que tudo é referente aos anunnaki:

A voz, que estava disfarçada e acompanhada por um profundo zumbido, invadiu a transmissão do local, da estação ITV Southern Television, sobrepondo o sinal de áudio UHF da notícia no início da noite que estava sendo lida por Andrew Gardner da ITN alertar os telespectadores que “todas as suas armas do mal devem ser removidas” e “vocês tem pouco tempo para aprender a viver juntos em paz.”

A interrupção cessou logo após que a instrução tinha sido entregue, as transmissões voltaram ao normal pouco tempo antes do final de Looney Tunes, um desenhos animado. Mais tarde na noite, Southern Television pediu desculpas pelo que ele descreveu como “um grande avanço no som” para alguns espectadores. A ITN também informou sobre o incidente em seu próprio boletin da tarde de sábado - wikipedia.

A mensagem entregue durante a interrupção:

Esta é a voz de Vrillon, representante do Comando Galáctico Ashtar, que vos fala. Há muitos anos que vocês nos vêem como luzes nos céus. Falamos-vos neste momento em paz e sabedoria, tal como temos feito com os vossos irmãos e irmãs por todo este planeta Terra.

Vimos para vos alertar acerca do destino da vossa raça e do vosso mundo, para que possam comunicar aos vossos seres companheiros a direção a tomar para evitar os desastres que se abatem sobre o vosso mundo, e sobre os seres dos mundos à vossa volta. Isto é para que possam participar no grande despertar, à medida que o planeta transita para a Nova Era de Aquário. A Nova Era poderá ser um tempo de grande paz e evolução para a vossa raça, mas isto apenas se os vossos governantes tomarem consciência das forças malignas que se sobrepõem aos seus julgamentos.

Fiquem quietos e escutem, pois pode não haver outra oportunidade. Todas as armas do mal devem ser removidas. O tempo do conflito já passou, e a raça da qual fazem parte poderá prosseguir para patamares mais altos de evolução se vocês se mostrarem dignos. Só vos resta um curto período de tempo para aprenderem a viver juntos em paz e boa vontade.

Existem pequenos grupos em todo o planeta que já estão a aprender isto, e eles existem para transmitir a todos a luz da alvorada da Nova Era. Vocês são livres de aceitar ou rejeitar os seus ensinamentos, mas apenas aqueles que aprendam a viver em paz passarão para patamares mais altos de evolução espiritual.

Ouçam agora a voz de Vrillon, representante do Comando Galáctico Ashtar, que voz fala. Tenham também em atenção que existem muitos falsos profetas e guias a operar no vosso mundo. Eles vão sugar-vos a energia – a energia que chamam de dinheiro – irão aplicá-la em fins malignos e dar-vos apenas inutilidades em retorno.

O vosso Eu interior divino proteger-vos-á de tudo isto. Aprendam a ganhar sensibilidade em relação à voz interior a qual vos pode indicar o que é verdade e o que é confusão, caos e mentira. Aprendam a escutar a voz da verdade que vem do vosso interior… e que vos guia no caminho da evolução. Esta é a nossa mensagem para os nossos queridos amigos. Temos observado o vosso crescimento ao longo de muitos anos, assim como vocês têm observado as nossas luzes no céu… Há muitos mais seres no vosso mundo e em seu redor do que os vossos cientistas admitem.

Estamos profundamente preocupados convosco e com o vosso caminho rumo à luz, e faremos tudo o que pudermos para vos ajudar. Não tenham medo, busquem apenas conhecerem a vós mesmos e vivam em harmonia com o vosso planeta Terra. Nós, aqui no Comando Galáctico Ashtar, agradecemos a vossa atenção. Estamos agora a sair dos vossos planos de existência. Sejam abençoados pelo amor e verdade supremos do cosmos.”

Veja o vídeo da transmissão:

Recomendado para você

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Mistério desvendado: Como foi construida a Grande Pirâmide



Papiro de 4500 anos descreve construção da Grande Pirâmide do Egito - O documento foi escrito por uma testemunha da época - e explica como os imensos pedaços de granito chegavam ao monumento
por Guilherme Eler - SUPER INTERESSANTE

A mais velha das sete maravilhas do mundo Antigo conta com toda uma aura de mistério. Tudo graças a seu enigmático processo de construção, iniciado há pelo menos 2,5 mil anos a.C. A forma como os egípcios colocaram a Grande Pirâmide de pé de fato impressiona: foram 20 anos de obras, nos quais cerca de 100 mil homens trabalharam no monumento de 139 metros de altura.

Além de tudo ter de ser feito ‘na raça’, sem a ajuda de ferramentas mais complexas, a matéria-prima utilizada costumava vir de longe. Enquanto o calcário era produzido em Tura, a quase 13 quilômetros de Gizé, o granito viajava ainda mais – pelo menos 800 km, trazido de cidades do sul do Egito, como Aswan e Luxor.

Este último tópico, aliás, sempre botou uma pulga atrás da orelha de arqueólogos e especialistas. Quem teria ajudado os egípcios no translado dessas peças gigantes de pedra, com pelo menos 2.5 toneladas cada uma? Sem considerar “ajuda alienígena” como uma resposta razoável, arqueólogos acreditam que a chave para a questão esteja em um papiro antigo – e que as águas do Nilo tenham, mais uma vez, sua parcela de responsabilidade na história.

O manuscrito de 4,5 mil anos de idade é considerado o mais antigo da história egípcia. Ele foi encontrado nos arredores das pirâmides de Gizé em 2013 – mais precisamente no antigo porto de Wadi al-Jarf, no Mar Vermelho. Desde então, ele embasa o trabalho de um grupo internacional de pesquisadores. 


Suas conclusões mais recentes vieram ao mundo na última semana, no documentário Grande Pirâmide do Egito: A Nova Evidência, produzido pelo Canal 4, da TV britânica. Segundo o grupo, o nascimento da Grande Pirâmide – onde está sepultado o idealizador da obra, Faraó Khufu – só foi possível por conta de um complexo sistema de canais.

Acredita-se que o autor do papiro, conhecido como Merer, era um oficial envolvido na construção da Grande Pirâmide e responsável por liderar um grupo de 40 marinheiros. Em seu diário, ele detalha como a operação funcionava. Pelas águas do Nilo, as pedras cumpriam o percurso em barcos de madeira

Graças a canais escavados até o pé da pirâmide em construção, as embarcações podiam chegar o mais próximo possível da obra. Assim, os barcos eram puxados pelos milhares de trabalhadores com a ajuda de cordas. Cerca de 170 mil toneladas de calcário – e pelo menos 2.3 milhões de blocos de pedra – teriam chegado até Gizé dessa forma. Haja força no braço.

Fonte: Compartilhado do site da Revista SUPER INTERESSANTE

Gostou? Leia também: Desmistificando a construção das piramides do Egito

Recomendado para você




sábado, 23 de setembro de 2017

Armazenamento quântico em luz congelada



No que poderia vir a ser um grande avanço no armazenamento de memória quântica e processamento da informação, pesquisadores alemães conseguiram congelar a coisa mais rápida do universo, a luz. E eles o fizeram por um minuto, um recorde.


Parece estranho, e é. A razão para querer manter a luz em seu lugar (além da pura grandiosidade dela) é para garantir que ela mantém suas propriedades de coerência quântica (ou seja, o seu estado de informação), tornando possível a construção de memória quântica à base de luz. E em quanto tempo a luz poderia ser mantida, no que diz respeito na medida em computação. Assim, ela poderia permitir comunicações quânticas mais seguras em longas distâncias.

É desnecessário dizer que, não é fácil prender a luz – você não pode simplesmente colocar no congelador. A luz é uma radiação eletromagnética que se move a 300 milhões de metros por segundo. Ao longo de um período de um minuto, ela pode viajar cerca de 11 milhões de milhas (18 milhões de quilômetros), ou 20 viagens de ida e volta para a lua. Então é um meio bastante astuto e escorregadio, para dizer o mínimo.

Mas a luz pode ser desacelerada e até mesmo parada completamente. E de fato, os pesquisadores conseguiram mantê-la por 16 segundos utilizando átomos frios.

Para esta experiência particular, o pesquisador Georg Heinze e sua equipe, converteram a ligação de luz em ligações atômicas. 

Fizeram usando um efeito de interferência quântica que faz com um meio de opacidade – neste caso, um cristal – transparente sobre uma escala estreita dos espectros de luz (um processo chamado Electromagnetically Induced Transparency, em português, Transparência Induzida por Eletromagnetismo). 

Os pesquisadores dispararam um laser através deste cristal (uma fonte de luz), que enviou seus átomos em uma superposição quântica de dois estados. 

Um segundo raio, em seguida, desligaram o primeiro laser e como consequência, a transparência. Assim, os pesquisadores reduziram a superposição – e prenderam o segundo feixe de laser no interior.

E eles provaram a realização do armazenamento – e em seguida, recuperando com êxito – a informação na forma de uma imagem de 100 micrômetros de comprimento, com três listras horizontais sobre ele.

“O resultado supera as manifestações anteriores em gases atômicos por aproximadamente seis ordens de magnitude e oferece excitantes possibilidades de memórias de armazenamento quânticos de longa data que são espacialmente multiplexados, ou seja, podem armazenar diferentes bits quânticos como pixels diferentes”, observa o físico Hugues de Riedmatten em um artigo de revisão de física associado.

No futuro, os pesquisadores tentarão usar diferentes substâncias para aumentar ainda mais a duração do armazenamento de informações.

Estudo publicado na Physical Review Letters: “Stopped Light and Image Storage by Electromagnetically Induced Transparency up to the Regime of One Minute.” Imagem: Gizmodo / Heinze et al.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...